Cardio da Vida
Procurar
Close this search box.
Procurar
Close this search box.

Café e risco de mortalidade

ligia mendes

Lígia Mendes - Cardiologista

Publicado no dia 17 de abril de 2024

A ingestão moderada de café associa-se a menor risco de doença cardíaca e reduz a mortalidade!

Este foi o principal resultado do estudo que avaliou as associações entre os subtipos de café, os eventos cardiovasculares e a mortalidade, utilizando o UK Biobank.

O UK Biobank é um projeto de investigação de grande escala no Reino Unido que visa melhorar a prevenção, diagnóstico e tratamento de múltiplas doenças. Foram recolhidos dados de saúde, informações genéticas e amostras biológicas de meio milhão de participantes, recrutados entre 2006 e 2010, com idades entre 40 e 69 anos. Os participantes concordaram em fornecer informações detalhadas sobre a sua saúde, estilo de vida e ambiente, bem como amostras biológicas (sangue, urina e saliva) para análise.

Um total de 449.563 participantes foi seguido por um período médio de 12,5 anos. Os participantes foram divididos em vários grupos, de acordo com o tipo de café consumido, bem como a respetiva quantidade.

tabela cafe

Os subtipos de café foram definidos como descafeinado, moído e instantâneo e depois divididos em <1, 1, 2 a 3, 4 a 5 e >5 chávenas/dia, e comparados com os não consumidores.

Os principais resultados do estudo revelaram uma redução do risco de eventos nos participantes que consumiram café em quantidade moderada, nomeadamente:

Risco de arritmias

O consumo de café moído e instantâneo (1 a 5 chávenas/dia) foi associado a uma redução significativa no risco de arritmias, mas o mesmo não ocorreu com o consumo de café descafeinado.

O risco mais baixo ocorreu no grupo que consumiu 4 a 5 chávenas/dia de café moído (redução 17%) e 2 a 3 chávenas/dia de café instantâneo (redução 12%).

Risco de eventos cardiovasculares

Todos os subtipos de café foram associados a uma redução de eventos cardiovasculares isquémicos. O risco mais baixo ocorreu no grupo que consumiu 2 a 3 chávenas/dia de café descafeinado, moído e instantâneo, em comparação com os não consumidores.

Mortalidade

A mortalidade total foi significativamente reduzida para todos os subtipos de café, com a maior redução de risco observada no grupo que consumiu 2 a 3 chávenas/dia de café descafeinado, moído e instantâneo

Em suma, o café descafeinado, moído e instantâneo, especialmente na quantidade de 2 a 3 chávenas/dia, associou-se a benefícios para a saúde.

destaque cafe d

No entanto devemos relembrar, que o consumo de café não está isento de riscos, principalmente se for excessivo.

O café com cafeína pode potencialmente aumentar a frequência cardíaca em indivíduos suscetíveis e que não estão habituadas ao seu consumo regular. Adicionalmente, o café pode prejudicar a qualidade do sono e induzir sentimentos de ansiedade, disforia e — em casos raros — sintomas psicóticos ou maníacos.

Por fim, é importante lembrar que nem todo o café é igual. Uma confeição fortemente açucarada das principais marcas de coffee-shop não é o mesmo que uma saudável chávena de café preto.

Referências:

  1. David Chieng, Rodrigo Canovas, Louise Segan et al. The impact of coffee subtypes on incident cardiovascular disease, arrhythmias, and mortality: long-term outcomes from the UK Biobank. European Journal of Preventive Cardiology, Volume 29, Issue 17, November 2022, Pages 2240–2249

FAÇA O SEU REGISTO E NÃO PERCA AS NOVIDADES

Assine a newsletter e receba mensalmente sugestões de artigos e insights dos especialistas do Cardio da Vida!
Caso não encontre o nosso email, por favor, verifique a sua caixa de spam ou de lixo eletrónico.