Cardio da Vida
Procurar
Close this search box.
Procurar
Close this search box.

ENFARTE DO MIOCÁRDIO E PARAGEM CARDÍACA: QUAL É A DIFERENÇA?

Artigo de José Ferreira Santos - Cardiologista

Ambos são problemas cardíacos e emergências médicas, mas não são a mesma coisa. Conheça as diferenças.

Na paragem cardíaca, tal como o próprio nome indica, o coração deixa de funcionar e de bombear sangue.
O enfarte do miocárdio está relacionado com a obstrução e interrupção da irrigação sanguínea do coração, que leva à destruição de músculo cardíaco.

PARAGEM CARDÍACA

O que acontece numa paragem cardíaca?

  • Uma paragem cardíaca é um acontecimento súbito, que pode ocorrer sem sinais de alerta prévios.

  • O coração deixa de conseguir bombear sangue para o cérebro, pulmões e outros órgãos e tecidos do organismo.

  • Uma pessoa com uma paragem cardíaca perde a consciência (desmaia), deixa de respirar e fica sem pulso porque o coração deixa de bater. Se não for socorrida rapidamente, a morte é uma certeza!
O que acontece numa paragem cardíaca?

Por que acontece uma paragem cardíaca?

Para o coração se contrair e bombear o sangue precisa de estímulos elétricos constantes e de músculo funcionante. A paragem cardíaca pode surgir por dois motivos principais:

• O coração deixa de produzir estímulos elétricos adequados ao seu funcionamento. Neste caso, a atividade elétrica torna-se imprevisível e caótica e surge uma arritmia chamada fibrilhação ventricular, na qual o coração deixa de funcionar automaticamente.

• O coração também pode parar porque o músculo deixou de funcionar e os batimentos cardíacos deixam de ser eficazes. Isto pode acontecer quando existe um enfarte do miocárdio extenso, um derrame pericárdico (líquido à volta do coração) súbito ou uma embolia pulmonar maciça, entre outros. Nestes casos, e numa primeira fase, a atividade elétrica do coração pode estar mantida, mas inevitavelmente, se nada for feito, o coração acabará também por deixar de ter atividade elétrica.

Existem várias causas de uma paragem cardíaca, as mais frequentes são:

  • Enfarte agudo do miocárdio; 
  • Cardiomiopatia hipertrófica (e outras miocardiopatias);
  • Insuficiência cardíaca;
  • Doenças congénitas do coração;
  • Doenças elétricas do coração (por exemplo, síndrome de brugada, síndrome QT longo, entre outras);
  • Traumatismos graves, afogamento ou eletrocussão;
  • Consumo de drogas recreativas, tais como cocaína, metanfetaminas, entre outras.

O que fazer perante uma paragem cardíaca?

Quando ocorre uma paragem cardíaca é necessário intervir de imediato, nomeadamente:

  • Confirmar que a vítima está inconsciente e pedir ajuda, ligando para o 112;
  • Iniciar suporte básico de vida com compressões do tórax (massagem cardíaca, que permitem que o sangue continue a circular, mesmo estando o coração parado. Se tiver equipamento e souber como fazer, devem também ser realizadas ventilações para oxigenação do sangue; 
  • Assim que possível deve ser usado um desfibrilhador, que permite administrar um choque elétrico para tratar a fibrilhação ventricular e restabelecer a atividade elétrica normal do coração. Muitos espaços públicos já têm desfibrilhadores automáticos externos, mas em Portugal é preciso ter formação para a sua utilização por profissionais não médicos.

Quando há uma paragem cardíaca, se nada for feito, após 10 minutos a maioria das pessoas será irrecuperável. Se for realizada a massagem cardíaca e a utilização do desfibrilhador for atempada, é possível estender a janela além dos 10 minutos e salvar muitas vidas! 

Infelizmente, estima-se que mais de 90% das vítimas de paragem cardíaca, que ocorre fora de um hospital, acabem por morrer. Por esse motivo, é importante alargar a formação em suporte de vida e o acesso a desfibrilhadores automáticos externos ao maior número possível de pessoas, pois toda a ajuda conta! 

No caso dos sobreviventes de paragem cardíaca, é obrigatório realizar uma investigação clínica exaustiva para perceber qual a causa e tratá-la de forma adequada.

ENFARTE DO MIOCÁRDIO

O que acontece num enfarte do miocárdio?

  • Um enfarte do miocárdio, também conhecido como ataque de coração, pode ser um acontecimento súbito e com sintomas intensos ou ser antecedido de sintomas de alerta e de agravamento progressivo;
  • No enfarte do miocárdio as células do coração entram em sofrimento por isquemia e nessa altura surgem os primeiros sintomas.
O que acontece num enfarte do miocárdio?

Os sintomas mais habituais são:

1

Dor ou desconforto no peito, descrita como sensação de pressão ou aperto, que pode irradiar para outras regiões, como os ombros, braços, pescoço, entre outras; 

2

Pode haver também dificuldade respiratória, náuseas, vómitos, suores, tonturas, palpitações e eventualmente desmaios.

Em muitos casos, a primeira manifestação do enfarte agudo do miocárdio pode ser uma paragem cardíaca, que ocorre como consequência da interrupção súbita da circulação de sangue e que leva a fibrilhação ventricular. 

Estima-se que, em 50% do casos de enfarte do miocárdio, a paragem cardíaca possa ser a primeira manifestação da doença. É por esse motivo que as duas doenças são muitas vezes confundidas.

Por que motivo acontece um enfarte do miocárdio?

No enfarte do miocárdio deixa de circular sangue numa determinada zona do coração, irrigada por uma artéria coronária, ou por uma ramificação desta, que fica parcial ou totalmente bloqueada por um coágulo. Quando uma área do músculo cardíaco deixa de receber sangue diz-se que ocorre isquemia. E se esta isquemia se mantiver, pode resultar na morte e destruição das células do miocárdio. 

O bloqueio das artérias coronárias deve-se mais frequentemente à aterosclerose, isto é, a depósitos de gordura que, de forma progressiva, crescem nas suas paredes. Em determinadas condições e de forma súbita, estes depósitos de gordura podem levar à formação de coágulos e à consequente interrupção do fluxo de sangue.

O que fazer perante um enfarte do miocárdio?

À semelhança da paragem cardíaca, o enfarte agudo do miocárdio também é uma emergência médica, e necessita de uma intervenção rápida. Por esse motivo, quando existe uma dor ou outro sintoma suspeito de enfarte, deve ser pedida ajuda de imediato, idealmente ligando ao 112.

FAÇA O SEU REGISTO E NÃO PERCA AS NOVIDADES

Assine a newsletter e receba mensalmente sugestões de artigos e insights dos especialistas do Cardio da Vida!
Caso não encontre o nosso email, por favor, verifique a sua caixa de spam ou de lixo eletrónico.