Cardio da Vida
Procurar
Close this search box.
Procurar
Close this search box.

O poder do exercício físico na prevenção da Diabetes Tipo 2 em adultos com obesidade

Artigo de Vanessa Santos - Fisiologista do exercício
09 maio 2023

A obesidade é um problema de saúde global que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Além de aumentar o risco de doenças cardiovasculares, a obesidade também está fortemente associada ao desenvolvimento de diabetes mellitus tipo 2. 

A diabetes é uma doença crónica caracterizada pelo aumento dos níveis de açúcar no sangue, devido à resistência à insulina e/ou deficiência na produção de insulina pelo pâncreas. Estima-se que mais de 400 milhões de pessoas em todo o mundo tenham diabetes, e esse número deve aumentar nas próximas décadas. 

Os mecanismos que ligam a obesidade e a diabetes são numerosos e envolvem a remodelação do tecido adiposo, como resultado de comportamentos sedentários e de dietas pouco saudáveis. O excesso de gordura corporal é resultante de contínuos balanços energéticos positivos em que a quantidade de calorias consumidas é superior à quantidade de calorias despendidas, sendo um dos principais fatores de risco modificáveis. Estes fatores juntos reduzem a aptidão cardiorrespiratória, um dos mais importantes preditores de doenças cardiovasculares e mortalidade por todas as causas na população em geral, mas também naqueles com diabetes. 

Um bom indicador para avaliar o risco de desenvolver diabetes é o perímetro da cintura, ou seja, a quantidade de adiposidade na região abdominal.

A gordura ectópica, localizada na região abdominal, está diretamente relacionada com diversas alterações metabólicas, mais concretamente, com a diminuição da tolerância à glicose e a redução da sensibilidade à insulina, que por sua vez são fatores que levam ao desenvolvimento da diabetes.

O poder do exercício físico na prevenção da Diabetes Tipo 2 em adultos com obesidade

A relação entre…

Obesidade

…tem sido amplamente estudada, e a maioria dos estudos tem revelado que:

A prática regular de atividade física pode reduzir significativamente o risco de desenvolvimento de diabetes em indivíduos com obesidade, apresentando melhorias na ação da insulina e no controle dos níveis de glicémia a curto e a longo prazo.

Uma revisão sistemática recente analisou 10 estudos controlados e aleatorizados, que demonstraram evidências claras de que a intervenção com exercícios combinados tem efeitos positivos na melhoria do controlo glicémico e do peso e no aumento da sensibilidade à insulina entre doentes com diabetes e excesso de peso ou obesidade concomitante

Exercícios combinados
Exercícios combinados significa combinar atividade física aeróbica com força muscular. O exercício aeróbio ajuda a queimar calorias e a aumentar o gasto energético em repouso, além de melhorar a capacidade cardiorrespiratória. Já o exercício de força muscular aumenta a massa muscular, o que aumenta o metabolismo basal e o gasto energético em repouso e também promove melhorias na resistência à insulina e na sensibilidade à glicose. Além disso, a combinação de exercícios aeróbios e de força muscular pode levar a uma redução da gordura visceral, muito associada à diabetes.

Um estudo recente de Waters e dos seus colaboradores, publicado em 2022, demonstrou que o exercício combinado foi mais eficaz na perda de gordura ectópica e na melhoria da função metabólica, do que quando realizado de forma isolada, o aeróbio e o de resistência muscular. Corroborando assim cada vez mais a importância de criar hábitos de exercício físico regular, mas com um trabalho combinado, trabalhando diversas capacidades físicas, com exercícios aeróbios e de força muscular.
Já neste ano foi publicado no JAMA Internal Medicine, por Chen e os seus colegas, um estudo no qual compararam 220 adultos com obesidade, aleatorizados em 3 grupos, um de controlo sem exercício, outro grupo com exercícios de alta intensidade e o terceiro grupo com exercícios de intensidade moderada. Após 10 anos de seguimento, foi verificado que a incidência de diabetes foi de 2.1 por 100 pessoas/ano no grupo de exercício vigoroso, 1.99 por 100 pessoas/ano no grupo de exercício moderado e de 4.1 por 100 pessoas/ano no grupo sem exercicio. Reduzindo o risco de diabetes em 49% para o grupo de exercício vigoroso, e em 53% para o grupo de exercício moderado, em comparação com o grupo sem exercício. Estes resultados demonstraram que a longo prazo o exercício é essencial como método de controlo da obesidade e da progressão ou aparecimento de diabetes, independentemente da intensidade.

Concluímos assim que, aliada a uma dieta equilibrada, a prática regular de exercício físico é fundamental em adultos obesos de forma a prevenir o aparecimento de diabetes. 

Para maximizar resultados, opte por:

1 – Combinar exercícios de força muscular e aeróbios;

2 – Procure no seu treino combinar intensidades, exercícios de intensidade moderada (60-70% da sua frequência cardíaca máxima, 5/6 na escala subjetiva de esforço) e exercícios de intensidade vigorosa (80-90% da sua frequência cardíaca máxima, 7/8 na escala subjetiva de esforço);

3 – Procure um acompanhamento por uma equipa multidisciplinar (nutricionista, endocrinologista, fisiologistas do exercício), de forma a ajudarem a controlar sua saúde como um todo.

 

Quer saber mais sobre a relação entre exercício e diabetes?

Quer saber mais sobre a relação entre exercício e diabetes?

FAÇA O SEU REGISTO E NÃO PERCA AS NOVIDADES

Assine a newsletter e receba mensalmente sugestões de artigos e insights dos especialistas do Cardio da Vida!
Caso não encontre o nosso email, por favor, verifique a sua caixa de spam ou de lixo eletrónico.